Compartilhar:

A Pele na gravidez

Category: Tratamento Estético Comentários: 0

As alterações na pele podem dividir-se em fisiológicas e patológicas.

 As alterações fisiológicas são, em sua maioria, ocasionadas por alterações hormonais, da imunidade e fatores do metabolismo feminino. As patológicas podem ocorrer por alterações de pele preexistentes.             

Alterações de pigmentação são verificadas em mais de 90% das gestantes. Ainda que a causa exata seja desconhecida, a pigmentação é atribuída ao aumento do estimulo sobre os melanócitos, ocasionado pelos hormônios da gravidez, contribui para isso também a exposição solar. O aumento da pigmentação pode ser notada em áreas como aréola, mamilo, genitália externa, axila, região interna das coxas e periumbilical. Esses locais nem sempre retornam à pigmentação pré-gestacional.

A melasma (cloasma ou máscara gravídica) é uma mancha com formato irregular que vai do marrom claro ao escuro, com bordos bem definidos; envolve áreas da face (queixo, bochecha, nariz e lábio superior), pescoço e antebraço. Parece ter como fator desencadeante além das alterações hormonais, história familiar e exposição solar. Felizmente, melasma  associado à gestação desaparece normalmente em um ano após o parto, podendo persistirem 30% dos casos e se estender por até 10 anos.

O tratamento do melasma é realizado SEMPRE após a gestação, visto que o fator desencadeante é a própria gravidez e os medicamentos  se usados nesta época podem  causar mal formações no feto. Se o melasma persistir, poderá ser tratado após a amamentação e NUNCA durante ela.

  • A acne tanto pode melhorar como piorar durante a gestação. Solicita-se que a paciente use filtro solar para que não ocorram manchas e procure o dermatologista para uso de medicamento adequado.
  • O aumento de pelos de distribuição normal ou anormal, ocorre em algum grau na gestante, usualmente no início da gestação. Pode ser de distribuição generalizada, porém aparece com mais evidência no lábio superior, no mento e na bochecha. Os pelos finos costumam desaparecer após o parto.
  • Estrias, caracterizam-se pela ruptura das fibras elásticas e tem como localização habitual em  abdômen, mamas, região glútea, quadril, braços e coxas. Desenvolvem-se com frequência depois das 24 semanas de gestação e, acometem entre 55 e 90% das gestantes. As causas ainda estão indefinidas, mas sabe-se que existe predisposição genética e que aumento exagerado de peso pode fazer com que apareçam mais rapidamente.
  • Varizes, são alterações vasculares, que aparecem em 40% das gestantes, mais comumente nas pernas. Podem também aparecer como hemorróidas e na vulva. Para prevenir ou diminuir sua incidência , orienta-se a não ter um ganho excessivo de peso e a usar meias elásticas .

Conteúdo por: Drª Ana Paula Nicola